Carta de Princípios

Comente!

Identidade
Somos uma ampla rede de relacionamentos entre organizações e igrejas evangélicas que atuam na área social, no Brasil.

Propósito
Proporcionar espaços de encorajamento, capacitação, articulação, mobilização, troca de experiências, informações, recursos e tecnologia social.

Missão
Ser expressão dos valores do Reino de Deus e da missão de Jesus na sociedade brasileira, fomentando os valores de justiça, respeito, equidade, bondade e misericórdia por meio da ação social e na defesa dos direitos humanos.


Visão
Organizações e igrejas evangélicas articuladas, mobilizadas, fortalecidas e qualificadas em suas ações sociais em todo território nacional.

Justificativas

  1. a) Bíblica

 “O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. (Mateus 25.40)
“Antes, corra o juízo como as águas; e a justiça, como ribeiro perene”. (Amós 5.24)

Deus se preocupa com a desigualdade e a injustiça social.  Ele é um Deus justo e compassivo. A Bíblia demonstra isto, de forma contundente, citando inúmeras vezes a vontade de Deus sobre assuntos como: justiça, higiene e saneamento, saúde individual e pública, tortura, direitos trabalhistas, refugiados, alimentação, violência, agricultura, meio ambiente, prisões, infância, velhice, paz, guerra, ensino, política, advocacy, trabalho, fome, guerra, vulnerabilidade, escravos, pragas, sexualidade, habitação, acesso à água, vida urbana e rural, mordomia, crueldade, macro e microeconomia, orfandade, família, equidade, pobreza, riqueza, entre outros.

O Reino de Deus é o principal modelo para a nossa sociedade. Um reino de “paz, alegria e justiça” (Rm 14.17), onde o Rei é louvado plenamente e toda a criatura encontra sentido nele e em suas obras.

Vem aumentando a compreensão holística e bíblica sobre a missão da igreja, como reflexo e testemunho obediente do caráter de Deus. No Brasil e outros países, “Missão Integral” é um termo conhecido que expressa mais claramente esta compreensão e que conseguiu nas últimas décadas envolver movimentos, igrejas, organizações e redes. Em nível internacional, é possível encontrar no Movimento Lausanne esforço parecido. Há ainda outras iniciativas que agregam a igreja em torno de sua responsabilidade coerente e integral, como a Rede Miquéias.

  1. b) Contextual

O Brasil é um país muito desigual, e ainda persistem milhares de famílias empobrecidas, e muitas pessoas que sofrem injustiças e privações de seus direitos sociais, violações de direitos humanos além de outras injustiças sociais sistêmicas e ambientais.

Fica cada vez mais evidente que as igrejas e as organizações sociais de iniciativa evangélica se constituem em uma relevante força nacional. Isso, porém, por muito tempo, se deu de forma desarticulada, com esforços dispersos, sem muita visibilidade e representatividade nos espaços públicos e com baixa influência nas políticas de governança. Era necessário que houvesse articulação, troca de informações e recursos, qualificação e formação técnica, inovação, gestão profissional, transparência e ética, visibilidade, abrangência nacional e territorial, representatividade, incidência em políticas públicas, monitoramento e avaliação, diagnóstico, participação e controle social, entre outros.

Faltava a construção de uma ampla rede de relacionamentos entre organizações e igrejas evangélicas que atuam na área social, no sentido de proporcionar formação, encorajamento, capacitação, articulação; para transformação no âmbito da participação e controle social e nas frentes da ação social. Como consequência, havia um significativo desconhecimento das ações sociais desenvolvidas pelos evangélicos no Brasil, bem como da relevância desse trabalho para a sociedade.

Faltava também um espaço evangélico para trocas de experiências que propiciem o acesso das organizações evangélicas de ação social aos diversos recursos existentes.

Foi neste contexto que surgiu a RENAS – Rede Evangélica Nacional de Ação Social.

  1. c) Política

A caminhada da RENAS se pauta na fé em Jesus Cristo e na participação genuína em seu Reino, assumindo um papel de protagonista na articulação de organizações que, por meio da participação social legitimada pela democracia, levantam a bandeira da justiça — não de um partido ou grupo político.

A atuação da RENAS – seja em dimensões locais quanto regionais e nacionais – se dá em meio à diversidade de opiniões do povo evangélico no país e em meio a possíveis conflitos que o contexto desta diversidade possa gerar. No entanto, a RENAS crê que somos chamados para caminhar juntos, como povo de Deus, sendo “sal” e “luz”, para a glória de Deus.
Leia a declaração “A Posição Política da RENAS”.

Histórico

2000 – Três organizações se encontram no CLADE 4, em Quito, Equador, e conversam sobre a ação social no Brasil
2001 – Visão Mundial realizou uma consulta com várias organizações que atuavam na área da criança e adolescente em situação de risco.
2002 – Realizou-se um segundo encontro onde foi proposto um encontro nacional com as lideranças das organizações evangélicas.

Março de 2003 – Consulta com 80 igrejas e organizações sociais para pensar na proposta de formação de uma rede evangélica de ação social

Novembro de 2004 – Durante o Congresso Brasileiro de Evangelização (CBE), várias reuniões aconteceram para a consolidação da RENAS.

Março de 2006 – 1º Encontro Nacional da RENAS, no Vale da Benção, em Araçariguama (SP), com tema “Trabalhando em rede”.

Maio de 2006 – RENAS participa da reunião com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) a presidência da República, com representantes dos segmentos religiosos.

Setembro de 2007 – 2º Encontro Nacional da RENAS, em Belo Horizonte (MG), com o tema “Caminhos Alternativos para desenvolvimento Comunitário e a Geração de Trabalho e Renda”.

2007 – RENAS passa a fazer parte do CONSEA (Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional).

Agosto de 2008 – 3º Encontro Nacional da RENAS, em Curitiba (PR), com tema “Ouvindo o Coração de Deus para com o Pobre”.

Agosto de 2009 – 4º Encontro Nacional da RENAS, no Rio de Janeiro (RJ), com o tema “A Igreja de Cristo promovendo a Justiça”.

Agosto de 2010 – 5º Encontro Nacional da RENAS, em Camaragibe (Grande Recife, PE), com o tema “Transformando a sociedade a partir da igreja local”.

Março de 2011 – Lançamento da Campanha “Bola na Rede”.

Setembro de 2011 – 6º Encontro Nacional da RENAS, em Luziânia (GO), com o tema “Missão Integral: Participação Política e Justiça Social”.

Novembro de 2011 – RENAS ajuda a criar a Aliança Evangélica.

Setembro de 2012 – 7º Encontro Nacional da RENAS, em Manaus (AM), com o tema “Vida em abundância: ação social, sustentabilidade e justiça”.

Setembro de 2013 – 8º Encontro Nacional da RENAS, em Fortaleza (CE), com o tema “Criança, Sociedade e Igreja: caminhos do reino de Deus para a proteção de crianças e adolescentes”.

Fevereiro de 2014 – RENAS/Bola na Rede, Tearfund e Visão Mundial participam da reunião promovida pela Secretaria-Geral da Presidência da República, em Brasília, com líderes religiosos para tratar sobre o perigo da exploração sexual de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo.

Setembro de 2014 – 9º Encontro Nacional da RENAS, em Curitiba (PR), com o tema “Equidade: A Justiça do Reino de Deus”

Setembro de 2015 – 10º Encontro Nacional da RENAS, em Araçariguama, SP, com o tema “Seguir a Jesus: ver, sentir e agir – Igrejas e organizações em rede pela vida plena”.

2016 –  Encontros Regionais RENAS : Salvador, Belo Horizonte, Santarém e Recife temas diversos relacionados à equidade.

Outubro de 2018 – 11° Encontro Nacional RENAS em Natal/RN, em parceria com a ALEF, com o tema “ Venha o teu Reino – Uma igreja para hoje”

Setembro 2019 – 12° Encontro RENAS no Rio de Janeiro, com o tema “Pai nosso, seja feita a tua vontade”

Objetivos específicos

  1. Redes:incentivar e fortalecer a criação de Redes locais, regionais e temáticas, marcando presença em todos os lugares onde a ação social é necessária.
  2. Políticas públicas:articular e mobilizar a Rede em torno de ações transformadoras no campo das políticas públicas, independente do grupo ou partido político.
  3. Comunicação:promover e facilitar a comunicação com os atores sociais evangélicos e com diversos públicos interessados na ação social.
  4. Capacitação: facilitar a capacitação dos atores sociais evangélicos.
  5. Gestão:ter uma gestão que cumpra a missão da RENAS e contribua para o trabalho em rede.

Princípios

  1. a) Princípios de gestão:Gestão transparente, democrática e participativa, horizontalidade nas relações, autosustentabilidade e representatividade.
  2. b) Princípios políticos:Prática da misericórdia e da justiça para transformação da sociedade, democracia participativa, caráter de inclusão. Não ser instrumento de interesse político partidário, mas caminhar por meio da participação social democrática em busca da justiça.
  3. c) Princípios éticos:Fundamentar as ações em valores e princípios do Reino de Deus, como justiça social, amor, solidariedade, verdade, integridade, transparência, atuando de acordo com a visão integral e sistêmica na valorização da vida, respeitando os direitos das pessoas, bem como as diferenças e individualidades dos integrantes da rede.

Integrantes

  1. Organizações evangélicas de ação social (associações, fundações, OSCIP’s, etc);
  2. Igrejas evangélicas (denominações e departamentos de ação social);
  3. Movimentos evangélicos e organizações representativas e por segmento, que atuem nas áreas socioambiental, cultural e educacional.
  4. Redes locais e temáticas;


Estrutura

  1. Sede física
    A RENAS é hospedada por uma organização social filiada, que cede espaço para o seu funcionamento. Atualmente, a FEPAS cede o espaço para o escritório da RENAS e vem assumindo, junto com a AEBVB, as obrigações legais da rede.
  2. Estrutura de governança
    – Fórum ou reunião de todos integrantes
    – Grupo Gestor
    – Grupo Coordenador

– Conselho consultivo (ex-integrantes do grupo coordenador)
– Grupos de Trabalho
– Núcleos de Apoio (secretaria executiva e comunicação)

  1. Execução de atividades
    Temos uma secretária executiva e um gestor de comunicação, além de prestadores de serviços eventuais e diversos voluntários.

Sustentabilidade

  1. Adesão no valor anual de R$ 1.500,00 (parcelado ou não);
  2. Contribuição dos participantes da RENAS designada para ações específicas;
  3. Doação de organizações sociais e/ou empresas;
  4. Disponibilidade de recursos humanos e recursos de material permanente de organizações sociais;
  5. Resultados de eventos.

 Comunicação

Boletins quinzenais: Atalhos e Entre Nós
Site: www.renas.org.br
Facebook: facebook.com/renasbrasil; Instagram: instagram.com/renasbrasil

Grupo Gestor

Organizações

Associação Educação Beneficente Vale da Benção (AEBVB) Débora Fahur SP
Asas de Socorro Eunice Cunha GO
CECOVI/CELC Leonina Cunha PR
Visão Mundial Welinton Pereira DF
Médicos de Cristo Soraya Dias MG
MEAP Jandira Almeida SP
Missão Aliança Eliza Moulin PR
Exército de Salvação Mj Milka Santos SP
ACRIDAS Gerhard Fuchs PR
Editora Ultimato Klênia Fassoni MG

 Redes

Rede Representante UF
Rede CADI Mauricio Cunha PR
RENAS São Paulo Tércio Freire SP
RENAS Ceará Jailma Rodrigues CE
Rede Mãos Dadas Elsie Gilbert MG
REVTS-MG Marcelo Savassi MG
Rede FALE Morgana Boostel ES
FEPAS Ana Elisa DF
RENAS Amazonas Wilma Ribeiro AM
RENAS Bahia Silas Santana BA
REPAS Patrick Reason PR
RENAS Tocantins Dorotheia Luz TO

Venha fazer parte

  1. Acompanhe a RENAS: assine gratuitamente o boletim “Atalhos”.
  2. Torne-se parceiro: preencha a ficha de adesão em anexo (ou solicite-a).
  3. Participe de uma rede local ou temática.

Contato

RENAS (Rede Evangélica Nacional de Ação Social)
Secretaria Executiva: Rua José Lins do Rego, 65 – Parque Taquaral, Campinas – SP – Brasil Cep: 13087-221. Telefone: (19) 3326-6782. E-mail: renas@renas.org.br
Site: www.renas.org.br
E-mail / Comunicação: contato@renas.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *