Aqui umojamos!

[ 1 ] Comment

A FEPAS – Federação das Entidades e Projetos Assistenciais, realizou entre os dias 27 a 29 de março, o primeiro encontro de monitoramento da metodologia UMOJA – Comunidades Transformadas trazida para o Brasil pela Tearfund em 2013. 

A palavra Umoja significa “estar junto” na língua suaili do leste da África. O Umoja ajuda líderes de igrejas e suas congregações a trabalharem juntos com a comunidade a fim de realizar mudanças positivas para toda a comunidade.

“Após capacitar grupos em diferentes regiões do país em anos anteriores, a FEPAS tem este grupo que seguirá por um ano sendo apoiado e monitorado na implementação. Vários dos participantes são pastores de campos missionários da CIBI – Convenção Batista Independente, e que encontram na metodologia uma forma de implantar e ser igreja.” – esclarece Tânia Wutzik – coordenadora de projetos FEPAS.

Neste encontro, estavam representados 10 estados: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Bahia, Paraíba, Ceará, Maranhão e Amapá. Cada representante pôde compartilhar experiências, dificuldades e acertos. Além de levar “como presente” as sugestões dos companheiros para dar continuidade ao processo.

“Foram dias de fortalecimento, troca e que ajudam a manter a chama acesa, para que igrejas e comunidades caminhem e busquem juntas o Shalom de Deus. Criamos o verbo umojar…e sonhamos com muitas comunidades transformadas a partir da igreja local.” – disse Tânia.

Em clima de gratidão, foi um momento de despedida de Eloisa, psicóloga da FEPAS, que atuou como responsável pelos projetos com UMOJA.  “Agradecemos à Eloisa pela dedicação e compromisso em tudo que realizou neste tempo que esteve na FEPAS. Quem seguirá com este projeto será a assistente social e missionária em Juazeiro do Norte/CE, Angélica que tem implementado a metodologia, junto com Tânia. Que o Eterno siga nos conduzindo, nós aqui e Eloisa em Portugal, Umoja chegará lá também…” – finaliza Tânia.

Uma resposta a Aqui umojamos!

  1. Parabens pelo grande projeto. O brasil precisa disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *