Redes em ação: desafios e conquistas

Comente!

Mais de dez redes locais ligadas à RENAS de diversas regiões do Brasil se reuniram na tarde do penúltimo dia (25) do 10 Encontro Nacional em um tempo de compartilhamento dos desafios e das conquistas mais recentes.

Como manter uma rede de cooperação voluntária? Os representantes presentes relataram que não é fácil, mas que há caminhos possíveis. Desafios de gestão (com transição de lideranças e equipes pequenas), de tempo (com agendas apertadas), de recursos (com ações que não dependem só de financiamentos externos), de contexto (com problemas sociais sérios a serem enfrentados), de geografia (com regiões grandes e custos no deslocamento dos membros das redes) foram alguns mencionados.

No entanto, também há motivos para comemorar. Muita coisa foi possível realizar neste ano. A Rede Salto do Peixe, do Norte de Minas Gerais, conseguiu mobilizar pessoas e o poder público para discutir o problema da exploração e do abuso sexual na região mineira; ela também aplicou o Projeto José (que fortalece a criança na prevenção do abuso sexual) e assim conseguiu realizar a capacitação de mais de 100 pessoas. A Rede Evangélica do Terceiro Setor de Minas Gerais (RETS) tem assumido diversas frentes de trabalho como: a campanha Bola na Rede, o acolhimento de refugiados, capacitações, diálogo com igrejas e uma rede de oração.

A REPAS (Rede Evangélica Paranaense de Ação Social), conseguido multiplicar outras redes, como a que reúne organizações que trabalham com dependentes químicos. O forte na RENAS Rio é a amizade firmada entre os participantes. Já a RENAS São Paulo, que foi a anfitriã do Encontro deste ano, tem apoiado o fortalecimento das organizações parceiras, e que, como disse o Pr. Tércio Freire, “a rede só pode ser forte se as organizações também estarem fortes”. A RENAS Amazonas ajudou a denunciar casos de abuso sexual na região e também apoiou a campanha Bola na Rede.

Tapioca trazida por uma das redes RENAS

Tapioca trazida por uma das redes RENAS

A RENAS Bahia teve o privilégio de reconhecer alguns frutos do trabalho inicial, como é o caso de uma advogada que defende os direitos das crianças em Brasília, mas que há alguns anos foi treinada pela equipe da rede na campanha Bola na Rede. A Rede Marabá, no Pará, também estava presente e compartilhou a realização de capacitações no tema da Missão Integral, a participação no Conselho Municipal de Segurança Alimentar e a promoção de uma feira livre.

O momento de troca de experiência das redes foi encerrado com um bonito e diversificado café com produtos típicos da cada região onde as redes existem, e que foram trazidos por seus representantes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *