O Senhor julgará com equidade!

Comente!

“O Senhor reina!
Por isso firme está o mundo,
e não se abalará,
E ele julgará os povos com justiça.”
Salmo 96.10

Nesta aclamação pode-se ver claramente que a soberania do Senhor está baseada no fato de que Ele criou o céu e a terra. Usando a linguagem de Salmos 93.2, esta declaração implica que o Senhor derrotou as forças do caos e, portanto, a criação está estável. Por sua vez, esta declaração também serve como base para o fato de que o Senhor julga os povos com retidão.

Para os ouvidos contemporâneos, é surpreendente que na aclamação do versículo 10 coloque-se a obra do Senhor na criação paralelamente ao Seu governo moral. Mas no Antigo Testamento ambos são evidência plena do seu único reino.

balancaPara muitos cristãos é difícil entender que o julgamento do Senhor seja motivo de louvor. Infelizmente, isso é devido ao fato de que cristãos protestantes normalmente têm um conceito negativo do julgamento de Deus. Na teologia protestante muitas vezes dá-se ênfase ao aspecto de que cada um de nós é um pecador, ou seja, criminoso perante o Senhor. Mas no contexto dos Salmos o fato de que o Senhor julga com equidade significa que Deus restaura ordem neste mundo torto e bagunçado. Como resultado do pecado humano este mundo não é como deve ser. Mas o Senhor vai endireitar o que está torto. Portanto, o julgamento é o motivo de grande louvor.

BOSMA, C. J. Os Salmos, porta de entrada das nações: aspectos da base teológica e prática missionária no livro dos Salmos. São Paulo: Fôlego, 2009.

____
MAIS

Desigualdade: um problema possível de resolver?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *