Por mais transparência na indústria extrativista

Comente!

 

O Coletivo “Ame a Verdade” enviou uma carta aberta a parlamentares da CPI da Mineração na Câmara dos Deputados. O documento pede um diálogo com os políticos e as indústrias extrativistas. RENAS faz parte da articulação. Confira abaixo a mensagem do “Ame a Verdade” e assine seu nome na lista de apoio à iniciativa.

Olá, prezados irmãos e prezadas irmãs,

O Coletivo Ame a Verdade, composto de diversas organizações evangélicas, foi constituído em 2013 com o propósito de mobilizar cristãos e somar esforços no combate a um dos maiores males da sociedade brasileira, a saber, a corrupção. Desde o início de suas atividades como coletivo, o Ame a Verdade percebeu a importância de se aprofundar e incidir sobre o tema do sigilo fiscal da indústria extrativista, entendendo ser essa uma área em que são necessários maior transparência, garantia de direitos fundamentais, e a promoção de justiça socioambiental.

Neste contexto, em aproximação com o Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração, passou-se a monitorar as atividades de uma Comissão Especial da Câmara dos Deputados que irá emitir parecer sobre um projeto de lei que versa sobre o regime de aproveitamento e extração de substâncias minerais submetidas ao regime de licenciamento. O propósito dessa incidência é garantir que qualquer projeto de lei leve em conta os interesses das populações e dos territórios afetados pela mineração, os impactos no meio-ambiente, e que também regule e aumente a transparência fiscal da indústria extrativista.

Nesse contexto, foi redigida uma carta aberta com algumas dessas demandas, buscando posicionar-se nesse debate e solicitando que haja um amplo diálogo com os atingidos pela mineração e com toda a sociedade, além da imediata criação e implementação de políticas públicas para a mitigação dos impactos sociais e ambientais causados pelas indústrias de mineração no país.

Essa carta aberta já foi enviada aos parlamentares da “Comissão Especial da PL 0037/11 – Mineração”, e recebemos diversas adesões de organizações, entre as quais citamos: Aliança Cristã Evangélica Brasileira, Convenção Batista Mineira, EPJ – Evangélicos Pela Justiça, Rede FALE, Instituto Solidare, Remar – Rede Evangélica de Ação Social de Marabá/PA, Igreja Batista da Redenção (BH/MG), ONG Ser Sustentável, REVTS – Rede Evangélica do Terceiro Setor, Renas – Rede Evangélica Nacional de Ação Social, Visão Mundial, Tearfund.

Nesse momento, queremos ampliar a adesão desse documento, permitindo assinaturas individuais de líderes e membros de igrejas, denominações e organizações, assim como seguir convidando outras organizações e/ou igrejas que queira endossar institucionalmente o documento.

Clique aqui e leia o conteúdo da carta e formulário para coleta de novas assinaturas:

Pedimos sua colaboração para divulgar esse processo de coleta de assinaturas, de forma que se possa dar mais densidade a essa ação, buscando aumentar a pressão sobre os parlamentares da Comissão sobre a importância de tais demandas.

Para acompanhar as novas adesões e a lista atualizada de endossos que a carta recebeu, acesse este link.

Pedimos que divulguem entre seus contatos e listas.

Para dúvidas, informações adicionais, etc, seguem alguns contatos do Comitê Nacional do Coletivo Ame a Verdade:
Serguem Jessui Machado – serguem.silva@tearfund.org
Elda Mariza Valim Fim – eldamvfim@gmail.com
Patrick Timmer – patricktimmer@gmail.com

Por último, mas não menos importante, por favor, orem e intercedam por essa ação. Oremos pelas autoridades a quem se destina essa carta, para que Deus sensibilize seu coração para as necessidades da população e para o cuidado com a criação.

Em Cristo,

Patrick Timmer – Rede FALE
(pelo Comitê Nacional do Coletivo Ame a Verdade)

Foto: www.justicanostrilhos.org

carta_aberta_ame_verdade_extrativismo_Logos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *