“O trabalho infantil aprisiona as crianças”, diz diretor da Visão Mundial

Comente!

Leia abaixo o discurso de João Diniz, diretor nacional da Visão Mundial no Brasil e representante da Visão Mundial Internacional na III Conferência Global sobre Trabalho Infantil. As palavras a seguir foram proferidas na sessão plenária de abertura “A Erradicação Sustentável do Trabalho Infantil” no dia 09 de outubro.

****

“Senhor Ministro, senhoras e senhores participantes desta Confêrencia,

JoaoHelder_conferencia_trab_infantilA Visão Mundial Internacional está presente em cerca de 100 países no mundo. Somos uma organização cujo foco é a superação da pobreza e da desigualdade que afeta o bem estar e o desenvolvimento integral de 150 milhões de crianças, suas famílias e comunidades em todo o mundo.

Seja em Inhapi, o município mais pobre do Estado de Alagoas no Brasil, seja em uma vila rural no Quênia, seja em uma favela na Índia sempre nós encontramos crianças que trabalham e são privadas do direito de viver sua infância de uma maneira plena, o qual é um direito que todos nós temos em nossas vidas.

O trabalho infantil é uma das piores formas de exclusão e pobreza das crianças, pois aprisiona essas crianças na dura realidade da sobrevivência diária, ao mesmo tempo em que destrói a capacidade de sonhar e as oportunidades de um desenvolvimento integral no seu futuro.

Gostaria de destacar algumas das formas de trabalho infantil que nós, enquanto sociedade, governo e população em geral, precisamos dar a máxima atenção:

1. A situação das crianças que se encontram em situação migratória, seja de forma espontânea ou forçada devido aos conflitos em seus próprios países. Esta é uma situação muito crítica que requer a atenção dos Governos, da Sociedade e dos Organismos Multilaterais.

2. Também as crianças que se encontram trabalhando nas cadeias produtivas, tanto na zona rural como urbana, principalmente as que estão na parte invisível destas cadeias produtivas.

3. Por fim, as crianças que são exploradas no trabalho informal nas grandes cidades, nos grandes centros urbanos.

Erradicar o câncer do trabalho infantil em nossos países requer um esforço conjunto e integrado dos Governos, da sociedade civil, dos trabalhadores e das empresas. O Brasil é um exemplo que com metas concretas e a vontade de todos é possível alcançar resultados significativos na erradicação do trabalho infantil.

Mas também, é preciso ouvir as vozes das crianças e adolescentes sobre suas próprias realidades. Precisamos desenvolver mecanismos onde essas crianças e adolescentes possam de fato constituir-se em agentes de mudança de sua própria história.

Senhor Ministro, nós da Visão Mundial estamos comprometidos em trabalhar por um mundo que não tolera a pobreza, por um mundo que não tolera o trabalho infantil. Muito obrigado!”

Assista ao discurso de João Diniz:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *