Uma cartilha para ajudar a enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes

[ 3 ] Comentários

A Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) está de parabéns, pois tem lutado corajosamente e conseguido, passo a passo, dar visibilidade ao fenômeno da violência sexual contra crianças e adolescentes por todo nosso imenso país. A edição da cartilha “Uma ação educativa contra a Exploração e o Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes”, com seus 10 mil exemplares, mostra a força e o poder dessa militância.

Se me perguntassem: qual a fórmula desse grande sucesso da RENAS? Eu responderia que o segredo está na unidade e na graça de nos encontrarmos no centro da vontade de Deus, realizando sua obra.

A cartilha foi concebida para ser uma ferramenta a serviço da campanha “Bola na Rede”, promovida pela RENAS em parceria com onze organizações e redes.

Nosso principal objetivo é promover uma ação educativa que sensibilize as pessoas para a gravidade da exploração e do abuso sexual de crianças e adolescentes. Esperamos com isso fomentar a quebra do muro do silêncio, o aumento das notificações e a promoção de um ambiente mais seguro e livre de violência sexual para a população infanto-juvenil.

O processo de criação da cartilha contou com a colaboração e sugestões de várias pessoas ligadas à RENAS, dentre as quais destaco, com especial carinho, Ronald Neptune, Eliandro Viana, Tânia Wutzki, Débora Fahur e Ana Paula Felizardo.

Podemos dizer que escrever esse documento foi um grande desafio. O texto devia primar pela objetividade, ser simples, mas, ao mesmo tempo, conter informações relevantes para aqueles que desejassem prevenir e/ou encaminhar para redes de proteção a apuração de casos concretos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

Apesar de abordar o fenômeno da violência sexual de uma forma técnica, mostrando a tipificação de conceitos, estatísticas, legislação e detalhamento do sistema de garantia de direitos, a cartilha ficou bem didática e de fácil compreensão.

Está comprovado cientificamente que no decorrer do nosso processo de aprendizagem retemos apenas 10% do que lemos, 20% do que escutamos, 30% do que vemos, 50% do que vemos e escutamos (audiovisual), 70% do que ouvimos e logo discutimos e 90% do que ouvimos e logo realizamos. Dessa forma, tomando por base esses dados, recomendamos o estudo da cartilha em pequenos grupos e em classes de escola dominical. Para ajudá-lo a otimizar os debates e aprofundar as principais questões associadas ao fenômeno, criamos, logo após a exposição de cada tema, as seções “Para refletir” e “Uma palavra de esperança”. Confiram. Vale a pena.

A RENAS, inicialmente, não tinha recursos para produzir a cartilha. Entretanto, movidos pela fé, cremos que Deus iria prover “o ouro e a prata” e por meio da articulação com alguns parceiros, dentre os quais destaco aqui a Visão Mundial, na pessoa do Welinton, o sonho se transformou em realidade.

Por fim, concluo esse breve comentário, citando Victor Hugo que disse: “Nada é mais poderoso do que uma ideia que chegou no tempo certo”. De fato, meus queridos irmãos, a ideia de mobilizar a igreja para proteger crianças e adolescentes da violência sexual chegou no tempo certo. Acredito que estamos vivenciando um “kairós” de Deus. Essa é nossa hora de fazer história e proteger da violência essa geração de pequeninos. Que o Espírito Santo ilumine e fortaleça a todos nós, para que quando nos apresentarmos, perante nosso mestre Jesus, escutemos de seus lábios: “Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor” (Mt 25.23).

Leolina Cunha
(CECOVI)

_________
Baixe gratuitamente a cartilha aqui
.

 

3 respostas para Uma cartilha para ajudar a enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes

  1. Mais uma importante parceria da Polícia Militar do Estado de Goiás, SINDIDOOR e a Central de Outdoor Seccional Goiás, no combate a exploração sexual de crianças e Adolescentes, alertando principalmente a categoria dos caminhoneiros que cortam as estradas do Estado de Goiás.

    O SINDIDOOR e a Central de Outdoor parabenizou o Comando da Polícia Militar do Estado de Goiás e o Comando do 15º CRPM (CPR), bem como os policiais militares que estão diretamente ligados ao desenvolvimento do Projeto “Não desvie o olhar”, juntamente com o importantíssimo apoio de parceiros do projeto como o Ministério Publico, Laboratório Público de Aparecida de Goiânia, AGETOP, Jornal Diário da Manhã, Lions Rastreadores de Veículos, Loja Maçônica Acácia do Cerrado e Labre (Liga Brasileira de Rádio Emissão) e da Prefeitura de Aparecida de Goiânia, nesse excelente trabalho que a seu ver e único entre todas as policias militares do Brasil.

    O SINDIDOOR e a Seccional da Central de Outdoor, através de seus representantes, Alaédes de Morais Junior, Presidente sindidoor e Carlos de Paula Vilaça, Diretor da Central de Outdoor Seccional Goiás, sempre tem apoiado na divulgação de campanhas de interesse socioambiental e de utilidade pública em nossa Capital e interior do Estado, além de parabenizar todo o Comando da corporação pela junção de forças no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes, reafirmaram o compromisso de estarem sempre juntos nesse projeto que consideram ser de grande importância e alcance social. “Contem sempre com nosso apoio!” foram os dizeres finais dos novos parceiros.

    Os novos Outdoors serão instalados nos seguintes locais:

    • Cidade Jardim, Goiânia, Av. Altamiro Moura Pacheco/Hipódromo acesso ao DETRAN;

    • Parque João Vaz, Goiânia, Av. Perimetral Norte próximo à Faculdade Alfa AC e Portal Shopping;

    • Condomínios Horizontais, Goiânia, anel viário/saída do Jardins Madri;

    • Goiânia, CHEGADA DE NERÓPOLIS – RÓTULA DO SETOR GOIÂNIA II;

    • Goiânia, setor Perim, Av. Mato Grosso do Sul, próximo à lombada eletrônica;

    • Caldas Novas, entrada principal de próximo ao trevo.

    Além da instalação de Outdoors o Projeto RAS “Não Desvie o Olhar” idealizado pelo sargento Rosemário e que está sendo implantado pelo Comando Regional de Policia Rodoviária (15 CRPM), continua buscando novas parcerias para o combate a exploração sexual de criança e adolescente.

    Com o apoio da Dra. Daniela Fabiana, Biomédica, responsável pelo Laboratório Municipal de Aparecida de Goiânia, acreditando na eficácia do projeto, convidou os Doutores Carlos Magno, Fisioterapeuta, Coordenador do Programa de Saúde de Saúde do Adolescente e Mariley Gomes, Enfermeira, Coordenadora de Notificação de Violência, para juntos incrementarem essa parceria da Secretaria da Saúde de Aparecida de Goiânia, com a Polícia Militar goiana, objetivando a saída dessa incomoda estatística do 4º lugar do estado de Goiás no ranking brasileiro na exploração sexual infantil.

    A Coordenadora do Laboratório Público Municipal, Dra Daniela Fabiana, acredita que com o apoio das outras coordenações, e ainda com total apoio do Secretário da Saúde de Aparecida de Goiânia Drº Paulo Rassi, e do Prefeito Maguito Vilela, o referido projeto ampliara o seus fins no combate a exploração sexual de crianças e adolescentes, e terá maior alcance social.

    Fonte: sargento Rosemário FONE 062 9679 0531

  2. […] da Lagoinha. O pregadora foi Leolina Cunha, líder do CECOVI e uma das idealizadoras da cartilha Uma ação educativa contra a Exploração e o Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes. O culto gerou reações positivas das mulheres presentes, como mostra o depoimento a […]

  3. […] da Lagoinha. O pregadora foi Leolina Cunha, líder do CECOVI e uma das idealizadoras da cartilhaUma ação educativa contra a Exploração e o Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes. O culto gerou reações positivas das mulheres presentes, como mostra o depoimento a […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *