O drama de duas meninas que perderam tudo nas Filipinas

[ 1 ] Comentário

Leia a seguir o relato de Robson, um voluntário da Rede SOS Global, que socorreu vítimas nas Filipinas, país do sudeste da Ásia afetado pela tempestade Washi. Ele conta o drama de duas meninas: Mary Kris e Zyke Amber. O relato foi escrito na semana passada, mas até este domingo as garotas ainda aguardavam noticias de suas mães e irmãs.

Mais de mil pessoas morreram vítima da tempestade tropical Washi no sul das Filipinas neste fim de ano. O desastre natural varreu a ilha de Mindanao. As cidades portuárias de Cagayan de Oro e Iligan foram as mais afetadas.

Leia o relato abaixo.

Hoje estávamos atendendo no ponto zero do desastre aqui na Filipinas. Quando tivemos um tempo livre fomos conhecer uma região afetada. Compartilho agora a história de duas garotinhas que encontramos neste lugar. Pensávamos ser apenas duas pequenas meninas que moravam ali por perto, em um local mais acima o qual não havia sido destruído. Elas aparentavam ter entre 9 a 10 anos; estavam sentadas entres os destroços, olhando para o rio. A que está à esquerda na foto, (ela permaneceu com a cabeça abaixada por toda conversa), chama-se Zyke Amber e a que esta sentada ao seu lado, a direita, chama-se Mary Kris.

Elas moravam exatamente naquele local. Quando perguntei onde elas moravam elas disseram: “Ali”, apontando para um local em que somente havia parte do piso da casa. Elas são amigas e eram vizinhas. Perguntei então onde estavam suas famílias. Zyke respondeu primeiro: “Minha mãe e minhas duas irmãs estão desaparecidas”. Em seguida foi a vez de Mary responder: “Minha mãe, minha irmã e meu irmão também não foram encontrados”. “Quem está cuidando de vocês?”, perguntei, e elas disseram que estavam em um abrigo, ambas com seus pais (Mary disse que um dos irmãos também se salvou e está com ela e o pai no abrigo).

Perguntei como elas conseguiram se salvar, e disseram que estavam dormindo quando aconteceu a tragédia e que somente conseguiram segurar em uma árvore. Ambas foram encontradas a muitos quilômetros de distância em uma outra ilha. Passaram dois dias até serem finalmente encontradas. “O que vocês estão fazendo aqui neste lugar”, indaguei. “Estamos pensando no que aconteceu”, responderam. Elas disseram que ainda não conseguem acreditar no que aconteceu. Disseram que têm medo porque a mãe delas ainda não foram encontradas. Já fazem duas semanas desde que ocorreu o tufão. Muitas pessoas foram levadas por quilômetros de distâncias e muitas outras soterradas pelos escombros.

Quando nossa conversa estava chegando ao fim dissemos que iriamos orar por elas, e elas disseram que gostariam sim que orássemos. Disse também que iriamos pedir que as igrejas no Brasil também orassem. Esse foi o compromisso que eu fiz com essas duas garotinhas.

Por este motivo escrevo esta carta antes do que tinha programado. Saí daquele lugar com o choro engasgado na garganta e ainda agora, enquanto escrevo, fico emocionado com o triste testemunho destas duas lindas garotinhas que sobreviveram a uma dura prova e ainda precisam conviver com a dúvida e a incerteza da sobrevivência da mãe e dos irmãos. Esta noite irei dormir com a imagem da Inocência delas ao voltar – como duas amigas – ao local onde um dia foi o seu lar e o olhar triste e cabisbaixo de Zyke Amber e de sua amiga Mary Kris.

Não sei se terei a oportunidade de reencontrá-las novamente aqui na cidade. Certamente tentarei, para ver se podemos fazer mais do que simplesmente orar por elas. Nos despedimos então naquela tarde, dizendo para não esquecerem de que Jesus as amava. Assim como Zype Amber e Mary Kris, muitas outras crianças passaram pela mesma situação traumática com a perda dos pais, amigos, parentes e de tudo quanto um dia chamou de lar.

No terceiro dia em que estávamos aqui trabalhando com um time local nos chegou a informação de que até o momento 25 crianças haviam cometido suicídio (acredito que deveriam ser adolescentes), pois terem perdido todos os familiares. As igrejas têm ajudado, organizações cristãs estão se envolvendo.

Os moradores estão começando a retornar às suas casas para limpá-las, porém ainda existem muitos abrigos para aquelas que perderam tudo. Junte-se conosco e ore por essas crianças. Não esqueça que prometi a Zyke e Mary que oraríamos por elas e por suas famílias.

Juntos pelo Reino,

Robson
AME/SOS Global

Ore

Orem pelas crianças que se encontram sozinhas. Há relato de que em torno de 25 crianças já se suicidaram por terem perdido todos os seus familiares. Oremos também para que Deus mostre se há algo que nós, da igreja brasileira, possamos fazer para reverter o quadro.

Saiba mais: www.sosglobal.org.br

Uma resposta para O drama de duas meninas que perderam tudo nas Filipinas

  1. Obrigado amigo robson pela atencao dada as duas garotinhas vitimas de tufao nas filipinas, que deus as protejam, e protejam todas as vitimas de tragedia,oremos a deus por todos. Abracos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *