Programa desperta o prazer da leitura em crianças e adolescentes

[ 2 ] Comentários

Conheça o Programa de Incentivo à Leitura, uma iniciativa da ONG evangélica Associação Educacional e Beneficente Vale da Benção, em Araçariguama (SP). Ele é um dos projetos vencedores do Prêmio RENAS de Melhores Práticas 2011. 

O Programa de Incentivo à Leitura, realizado pelo Centro Comunitário Vou Vencer – Vale da Bênção, foi um dos vencedores do Prêmio RENAS de Melhores Práticas em 2011. O objetivo geral do programa é “despertar o hábito da leitura como forma de lazer e prazer, através de uma técnica onde há um mediador que aproxima as crianças e adolescentes dos livros de forma lúdica e interativa”.

Neste ano, 320 crianças e adolescentes, na faixa etária de 07 a 18 anos, participaram do Programa de Incentivo à Leitura.

Metodologia

Primeira fase (1 ano)

Os critérios para inserção nesta prática é estar matriculado na Escola Municipal Tereza de Castro da comunidade onde o Centro Comunitário Vou Vencer está inserido

No começo de cada ano letivo o Coordenador Pedagógico do Programa de Leitura

elabora, juntamente com o coordenador da escola, uma grade com os horários que cada turma pode participar. Neste ano estamos com 14 turmas do 3º, 4º e 5º anos do ensino fundamental.

Nesta primeira fase a criança tem contato com os livros e passa a conhecer os diversos gêneros literários. Cada dia é trabalhado um gênero literário do acervo de livros, contribuindo para que com o tempo, a criança/adolescente consiga distinguir cada gênero.

A mediadora explica qual é o gênero do dia, trazendo o significado deste às crianças. Cada criança/adolescente escolhe o livro do gênero trabalhado. Após o momento da leitura, eles conversam entre si compartilhando informações sobre a leitura que fizeram.

Com as crianças que apresentam dificuldade na leitura oral, é trabalhado o entendimento e a interpretação do texto por meio da leitura visual até que ela se sinta apta para ler.

No final desta primeira fase os alunos fazem um depoimento verbal e escrito, relatando sobre o significado do programa para eles, apontando o progresso que obtiveram.

Segunda fase (1 ano)

Nesta fase os alunos são desafiados a ajudarem na mediação com as novas turmas. Para isto, recebem treinamento sobre todo o processo e passam a auxiliar o mediador nos momentos de leitura.

Além da mediação, eles são conduzidos em momentos de reflexão sobre temas como: cidadania, meio ambiente, sexualidade e drogadição. Os alunos são desafiados a apresentar esses temas de forma lúdica e interativa através de dança, teatro e fóruns de discussão. Essas atividades geram neles maior capacidade de avaliação e crítica, fortalecendo-os para as tomadas de decisão no dia a dia.

Aspecto físico do ambiente de leitura

A sala de leitura tem um padrão diferente das bibliotecas convencionais. No lugar das cadeiras e mesas há no chão um tatame colorido com muitas almofadas onde as crianças se sentam para ler os livros.

Ao chegarem no local, elas tiram os sapatos para não sujar ou danificar o tatame. Utilizamos esse ritual de tirar os sapatos também como um preparo para uma atividade especial: o embarque numa viagem para o mundo do conhecimento – o mundo da leitura.

Os livros estão dispostos em prateleiras coloridas ao alcance das crianças, conforme a altura de cada faixa etária.

Ao ser criado, o programa tinha como finalidade atender os alunos no contra-turno escolar. Ao divulgarmos o programa nesta escola que fica próxima ao Centro Comunitário Vou Vencer, a aceitação foi grande por parte do diretor, coordenador e professores. Resolvemos adaptar o programa para atendê-los no horário da aula.

Resultados

– Fim da gagueira: no final de cada fase os alunos fazem um depoimento sobre: a trajetória na mediação, o que aprenderam e a melhoria que obtiveram em relação à comunicação verbal e escrita. Tem sido interessante notar quantos alunos apresentam problema de gagueira ao lerem. Quando são motivados a exercitar a prática da leitura e descobrem o prazer de ler, a gagueira desaparece.

– Aprendem a ler: alguns alunos vêm para a mediação sem saber ler, mesmo estando numa série avançada na escola. Eles se sentem envergonhados, retraídos e possuem um baixo rendimento escolar. Muitos deles têm aprendido a ler por meio do programa e a partir daí começam a apresentar melhor rendimento escolar e mais motivação para o estudo.

– Envolvimento da família e da escola: o programa de Mediação tem como meta trabalhar de forma integrada com a escola e com a família. Com os resultados positivos na vida acadêmica das crianças, a escola tem se mostrado mais confiante e participativa no programa, e o envolvimento dos pais também tem aumentado.

– Interesse dos alunos: algumas crianças e adolescentes tem surpreendido os mediadores ao começarem a frequentar o Centro Comunitário Vou Vencer, em outros horários, apenas para darem continuidade às leituras que iniciaram no horário da mediação. Outros têm voltado para serem ajudados com as tarefas escolares, utilizando os livros e a biblioteca digital do programa.

– Alegria dos pais: alguns pais têm vindo pessoalmente agradecer, com muita alegria, o fato de constatarem que seus filhos estão lendo. Tivemos a experiências de presenciar pais chorando de alegria pela conquista dos filhos na área da leitura.

Parcerias

A Associação Abaporu, uma organização que trabalha implantando programas de leitura nas comunidades, treinou os primeiros mediadores. Atualmente o treinamento para a mediação é feito pelo Vale da Bênção.

Outras parcerias têm sido feitas para aquisição de novos livros para o acervo da biblioteca, custeio de passeios culturais e recreativos, e custeio das demais despesas do programa.

Comparado aos demais programas executados pelo Vale da Bênção, e ao grande número de beneficiários, este é um programa de baixo custo financeiro, mas com muitos resultados positivos para os atendidos.

Conheça também

Programa transforma realidade de famílias do Sertão

Adolescentes monitoram políticas públicas

2 respostas para Programa desperta o prazer da leitura em crianças e adolescentes

  1. Rose disse:

    Como posso conseguir treinamento para a minha equipe com o RENAS?

    • Comunicação disse:

      Cara Rose,
      A RENAS é uma rede de organizações sociais evangélicas. Não realizamos “treinamentos”, mas apoiamos as iniciativas de organizações parceiras que oferecem, como o CLAVES. Também investimos em nosso Encontro Nacional como nossa forma de aprimorar o conhecimento da igreja evangélica, das organizações e das pessoas. No Encontro (o próximo será em setembro de 2012 em Manaus), além das palestras e mesas de debate, também temos várias oficinas.
      Caso queira conversar mais sobre isso, entre em contato com renas@renas.org.br
      Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *