Ação social e política

Comente!

“Engajamento e Participação em Políticas Públicas”. Este é o tema da terceira plenária do VI Encontro RENAS, que acontece de 15 a 17 de setembro em Luziânia (GO). Na mesa, estará o sociólogo Alexandre Brasil. Doutor em sociologia pela USP, com pós-doutorado pela Universidade de Barcelona, ele é professor adjunto da UFRJ, onde atualmente exerce a função de Diretor do Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde (NUTES). Casado com Daniela Frozi e pai de Daniel, Alexandre é um cristão engajado nos movimentos de juventude e na luta por justiça.

Leia aqui a entrevista exclusiva que Alexandre Brasil concedeu à equipe de comunicação da RENAS (Rede Evangélica Nacional de Ação Social).

Diz o ditado popular que futebol, política e religião não se discutem. No VI Encontro da RENAS só não vamos falar de futebol (oficialmente). Por que falar sobre política em um evento cristão?

Ainda dá tempo de incluir o futebol, não? No caso o evento em si é voltado para um grupo de cristãos preocupados e envolvidos com a ação social. Creio que um importante patamar de compreensão deste tipo de atividade passa por compreender e exigir que o estado cumpra o seu papel por meio da execução de corretas e adequadas políticas públicas. Daí caber muito em um evento com este proposta a presença de espaços que passem tanto pela discussão macro da política (seja partidária/conjuntura até questões diretamente relacionadas à gestão da administração pública). Fazer ação social hoje, na democracia brasileira, passa necessariamente por ações de defesa de direito, participação em conselhos de direitos, mobilização popular, diálogo com o governo e os partidos, pressão para a criação e aprovação de leis e por práticas relacionadas ao controle social. Para atuar nessas diferentes frentes torna-se fundamental uma formação e percepção que passa pela política.

Há riscos ou armadilhas para a fé cristã ao se falar do tema?

Considero que no falar/discutir nunca há risco no momento que assumimos uma postura crítica e questionadora a la os cristãos de Beréia. Penso que os maiores riscos estão presentes no momento que optamos por não abordar/tratar dessas questões.

O que são Políticas Públicas? Isso não é responsabilidade somente dos executivos que definem os orçamentos governamentais? Explique de forma clara e sucinta o significa “políticas públicas”.

Políticas públicas são políticas do estado e o estado é algo que interessa e que abrange a todos nós. Creio que a grande diferença das políticas públicas é exatamente esta: elas são elaboradas, acompanhadas e executadas sob o monitoramento da sociedade civil e a fiscalização dos outros poderes (legislativo e judiciário). É isso que caracteriza o jogo democrático, o qual conta ainda com a participação da Imprensa em seu papel de divulgação e denúncia. Assim temos que as políticas públicas perpassam tanto o executivo, responsável por sua elaboração e execução, mas que as realiza tendo em vista as relações com o legislativo (que aprova ou não o orçamento e acompanha a execução), o judiciário que zela pela boa condução das mesmas em sua legalidade, e a população que por intermédio de instâncias próprias promove ações de controle social.

Qual a importância da RENAS e deste encontro que vai acontecer?

A RENAS veio ocupar um espaço e função importantes ao reunir uma série de pessoas e organizações que atuam no campo da ação social, promovendo a sinergia dessas iniciativas por meio da formação de uma rede. A RENAS reúne importantes iniciativas e pessoas que têm estado a frente de uma série de processos, ampliando sua abrangência e os resultados alcançados. Identifico o espaço de RENAS como privilegiado para o encontro e o compartilhar de ricas e qualificadas experiências de vivência da fé cristã.

Que resultados você espera que aconteça após este encontro?

A possibilidade de encontro entre pessoas de origens e experiências é algo riquíssimo e encontros como este de RENAS abrem esta oportunidade.

Perfil

Alexandre Brasil Fonseca é sociólogo, doutor em sociologia pela USP com pós-doutorado pela Universidade de Barcelona. É professor adjunto da UFRJ, onde atualmente exerce a função de Diretor do Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde (NUTES). Coordena o projeto de pesquisa “Mapeamento e delimitação da alimentação escolar no Brasil” (Observatório da Educação CAPES/INEP – Núcleo Local NUTES/UFRJ). É membro da Comunidade Presbiteriana da Barra da Tijuca e da coordenação nacional da Rede FALE de defesa de direitos. É autor de Evangélicos e Mídia no Brasil (Edusf, 2003) e Relações e Privilégios (Novos Diálogos, 2011), entre outros. É casado com Daniela Frozi e pai de Daniel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *