Santúarios de Paz: refúgio contra a violência

Comente!

O que uma igreja local é capaz de fazer contra a violência? É difícil responder quando esta violência faz parte da cultura da sociedade ou quando ela está escondida dentro de casa. Seria, na verdade, impossível se a igreja local não fosse chamada por Jesus Cristo para um ministério de reconciliação (2 Co 5.18-19).

Paz contra a cultura de violência
Na Colômbia, país de conflitos armados e outros problemas de violência, há um exemplo do que a igreja local pode fazer em favor da paz. São os Santuários de Paz, um ministério iniciado pela Igreja Menonita da Colômbia e do Centro Cristão para Justiça, Paz e Ação Não-Violenta da Colômbia (Justapaz), com sede em Bogotá. O programa, existente há mais de 10 anos, reúne pessoas, igrejas e comunidades de todo o país para desenvolver ações não-violentas. Essas ações incluem, entre outras, aulas em escolas, vigílias de oração, construção de espaços para diálogo e oficinas de capacitação para pastores e líderes de regiões atingidas por guerrilhas, narcotráfico e violência contra as crianças.

A igreja que decide participar do programa é declarada “Santuário de Paz”, e como tal, entre outras ações, oferece acolhida às vítimas de violência. O coordenador do programa, pr. Hernando Padilla, lembra como foi difícil receber um ex-combatente de conflito armado em sua igreja em 1999: “Alguns membros não concordaram e decidiram abandonar a igreja. Mas os membros que ficaram foram preparados para aceitar as novas pessoas”. Além disso, outro problema é que os pastores e líderes que lutam pela paz na Colômbia realmente correm risco de morte. Mais de 40 pastores foram mortos em 2003, segundo a ONG Sal y Luz.

A idéia dos Santuários de Paz surgiu do Antigo Testamento, onde é narrado que algumas cidades eram designadas como refúgios para pessoas perseguidas e lugares onde poderiam receber consolo e ânimo. “Da mesma maneira”, diz Jenny Mene, co-diretora de Justapaz, “o modelo se baseia em reconhecer que Jesus Cristo mostrou ao mundo seu evangelho de paz, e o temos como alternativa cristã para a violência”. E Jenny afirma também: “Estamos ajudando as igrejas a responderem de maneira integral à realidade violenta do nosso país”.

Paz contra a violência em casa
Outra iniciativa semelhante acontece no Chile. Inspirados no exemplo da Colômbia, o projeto de mesmo nome já existe há mais de três anos e também pretende tornar as igrejas “santuários de paz”, ambientes de segurança. Quem coordena o programa no Chile é a Fraternidade Teológica Latino-Americana.

Segundo Freedy Paredes, coordenador de planejamento e execução do projeto, o objetivo era que as igrejas fossem a primeira opção de acolhimento para as vítimas. Para isso, elas realizam oficinas de capacitação e manifestações públicas pelo bom trato da criança. Toda igreja que adere ao projeto recebe o selo “Santuário de Paz”. Com isso, ela passa a usar a logomarca na identificação do templo e é reconhecida pela comunidade como lugar de refúgio.

A particularidade da iniciativa no Chile é o foco: combater a violência dentro das famílias e o abuso infantil. As parcerias com os governos locais e com outras organizações formam uma rede consistente de proteção das crianças.

A experiência-piloto foi em 2005 no município de Conchalí, em Santiago, e conseguiu envolver quatro igrejas e a população em geral. Atualmente, o projeto está atuando no município La Florida (região metropolitana de Santiago) e reúne cinco igrejas evangélicas, além da prefeitura. “Santuários é um projeto que está mudando a realidade das igrejas, das famílias e da sociedade no contexto em que se desenvolve. Cremos firmemente que o Senhor está abrindo a visão da igreja evangélica, e levando-nos a entender que nossa missão passa pela reconciliação integral de todos e todas, especialmente no contexto onde acontece a violência contra os que não podem se defender”, afirma Paredes. Se as igrejas locais obedecem aos mandamentos de Deus e utilizam seus dons diligentemente, elas recebem uma capacidade surpreendente de preservar os valores do reino e iluminar os relacionamentos escurecidos pela violência. Qualquer semelhança com “sal” e “luz” não é mera coincidência.

Números
Segundo o UNICEF e a Human Rights Watch, 11 mil crianças da Colômbia estão vinculadas a grupos armados.

Para saber mais
Leia a cartilha sobre os Santuários de Paz na Colômbia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *