Igrejas ajudam vítimas do terremoto no Peru

Comente!

Desde o dia 15 de agosto de 2007, a vida de muitas famílias e comunidades de Ica e Pisco mudou muito. Logo após o terremoto, tendo superado o pânico e confiando em Deus, grupos de pastores, irmãos e líderes visitaram as igrejas da região, registrando irmãs e irmãos prejudicados. Em muitas igrejas, foram formadas comissões para canalizar a ajuda que lhes estava chegando e apoiar as comunidades com víveres, apoio emocional e espiritual, retirada de escombros, construção de abrigos provisórios e outros.

Desde as primeiras notícias sobre o terremoto ocorrido em Ica, diversas instituições nacionais e internacionais ofereceram apoio humanitário na forma de suprimentos, alimentos, abrigo, equipamento, ferramentas e medicamentos, o que ajudou a enfrentar as primeiras semanas daquela situação emergencial, aumentando a esperança e animando os irmãos. Uma prova disso é a valiosa participação da igreja de Tupac Amaru Villa, em Pisco, que ofereceu suas instalações, tempo e apoio dos seus jovens para armazenar e transportar as doações para diversas igrejas e comunidades.

Em diálogo com pastores e líderes de diversas congregações de Pisco e Ica, foram identificadas as principais necessidades: provisão de alimentos, abrigo e apoio emocional. Com a companhia de alguns deles, foi possível visitar áreas de difícil acesso, que ainda não haviam sido atendidas, iniciando-se a implementação de 10 refeitórios comunitários dirigidos por irmãs e irmãos para atender a mais de 1.100 moradores das comunidades mais carentes. Um exemplo disso é a Igreja de Túpac Amaru Villa, a qual atendeu 160 pessoas, e a Igreja de San Miguel, que atendeu 110. Isto permitiu que irmãos e irmãs de diferentes congregações se conhecessem e trocassem experiências de serviço. Com a participação de membros de igrejas e moradores da zona rural, tal como Pachinga e Toscanía, foram construídos 60 abrigos provisórios, e foram reforçados mais de 130. Alguns chegaram a dizer o seguinte: “Aprendemos bastante com o terremoto, nos conhecemos melhor e nos sentimos úteis servindo a nossos vizinhos em um momento de necessidade.”

Relato escrito pela ONG cristã Paz e Esperança. Ela trabalha com defesa de direitos e Missão Integral em Lima, Peru. www.pazyesperanza.org


Legenda da foto: Famílias que receberam abrigos provisórios
Foto: Paz e Esperança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *