“Deus é pobre!”

Comente!

A edição 314 da Revista Ultimato trouxe um artigo sobre o 3º Encontro Nacionall RENAS. Escrito por Klênia Fassoni e Lissânder Dias, vale a pena ler!

Cerca de 190 pessoas participaram do III Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS), de 21 a 23 de agosto, no Lar Rogate e na Casa Betânia, em Curitiba, PR. O encontro reuniu pela terceira vez cristãos envolvidos com ação social em vários lugares do Brasil e celebrou os cinco anos de formalização de RENAS.

Com o tema “Ouvindo o Coração de Deus para com o Pobre”, o encontro considerou o legado de Jesus Cristo em seu relacionamento com os pobres e discutiu questões como pobreza, desenvolvimento comunitário, injustiça social e políticas públicas para a assistência social. Doze redes evangélicas e 60 instituições sociais de 11 estados brasileiros estavam presentes.

As reflexões bíblicas sobre o tema do encontro foram feitas por Ariovaldo Ramos, Valdir Steuernagel e Marcos Monteiro.

Ariovaldo Ramos, pastor da Igreja Reformada de São Paulo, falou a partir do diálogo entre Jesus e o jovem rico, registrado em Marcos 10.17-25, destacando o lugar que Jesus deu ao pobre no reino de Deus: “Deus não trabalha para os pobres, nem por eles pobres, nem com eles. Deus é pobre”.

Valdir Steuernagel, pastor luterano, lembrou da importância de colocarmos nossos ouvidos em sintonia com o coração de Deus. “Deus tem coração ou tem só palavra? Deus é muito mais que conhecimento. Precisamos ouvir o palpitar do coração de Deus. Este é o centro da fé: o Deus que procuro servir é o Deus que me alcançou, que veio, encarnou-se, tornou-se pobre, tornou-se fraco, morreu na cruz”.

Valdir comentou também a chamada “opção preferencial de Deus pelos pobres”: “Quando ouvi isso pela primeira vez não concordei. Hoje, eu entendo que a natureza de Deus é acolher o que está perdido. O ouvido de Deus é como o ouvido da mãe que acolhe preferencialmente o filho mais necessitado”.

Marcos Monteiro, autor de Um Jumentinho na Avenida (Editora Ultimato), premiado este ano pela ASEC como o melhor livro na categoria Evangelização, falou sobre o que chamou de “a voz misteriosa e inusitada de Deus”. Assim como nos primeiros capítulos de Mateus, Deus fala por meio das mulheres (Maria e as outras três mulheres de vida “suspeita” citadas na genealogia de Jesus), dos estrangeiros (os magos), dos sonhos quando nossas instituições já não falam (sonho de José), dos profetas na contramão (João Batista) e da criação de Deus (estrela), Deus continua falando “fora dos canais oficiais, e pessoas inesperadas podem estar mais próximas da voz de Deus”.

Experiências na pobreza
Na plenária do último dia, foram apresentadas experiências de missão integral e desenvolvimento comunitário em contextos de pobreza. Essas experiências foram compartilhadas por Viv Grigg, diretor internacional da Urban Leadership, Maurício Cunha, diretor do Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (CADI) e Analzira Nascimento, da Igreja Batista de Água Branca, SP.

Viv apresentou uma proposta de curso de mestrado com base na sua experiência com os pobres. Segundo ele, “a tarefa dos seminários não deve ser apenas acadêmica, mas sim transmitir a sabedoria de Cristo. E ele ensinou no meio dos pobres, viveu entre eles e se tornou um deles”.

Analzira contou sua experiência como missionária e enfermeira durante a guerra em Angola: “Eu me tornei conhecida em Angola como a enfermeira que ficou. A ONU foi embora, e eu fiquei. A partir daí, ganhei o coração do povo de lá”. Maurício Cunha trouxe uma reflexão sobre os conceitos bíblicos para a palavra compaixão: “Deus é o Deus da compaixão. Não tem como viver com esse Deus e não viver a compaixão. Compaixão bíblica não é dó. Ela sempre vai levar a uma ação. Deus expressa entre os pobres quem ele é”.

Santa Ceia
O III Encontro Nacional de RENAS foi encerrado com a cerimônia da Santa Ceia, ministrada por cinco pastores convidados. A reflexão bíblica em torno da mesa com o pão e o vinho valorizou o sentido comunitário da cerimônia.

O pr. Werner Fuchs chamou a atenção para a importância da penitência e da oportunidade do perdão: “Às vezes, queremos achar várias soluções para nossas igrejas, mas está faltando a penitência. Temos de pedir perdão juntos por nossa igreja, pois fazemos parte dela”. Ele lembrou a reação do profeta Isaías quando Deus o chamou. “Ai de mim, porque sou homem pecador e membro de um povo pecador” (Is 6.5).

Os cálices com vinho e o pão foram distribuídos por pessoas que ajudaram na organização do evento. Estes, por sua vez, foram servidos pelos pastores ministrantes. Divididos em duplas, todos oraram, comeram e beberam da Ceia do Senhor.

Além das atividades formais do programa, houve os “encontros no Encontro”, que foram momentos privilegiados para compartilhar experiências, encorajar e estabelecer novos contatos. Com os corações compungidos e desafiados, os participantes deixaram o evento convictos de que são parte de uma grande rede que — inspirada em um Deus que fez aliança com o pobre — busca a justiça e crê que é possível lutar por um mundo melhor para os pobres.

RENAS publica o seu primeiro livro
Durante o III Encontro Nacional de RENAS foi lançado o livro Jardim da Cooperação; Evangelho, Redes Sociais e Economia Solidária, com a presença de sete dos 21 autores. O livro foi publicado pela Editora Ultimato e RENAS, com o apoio da Visão Mundial.

“A existência de um movimento como o de RENAS mostra que alguém tem um direito que não está sendo observado. Alguém tem uma necessidade que não está sendo satisfeita. Alguém tem uma carência e tem o direito de ser assistido. Esse é o princípio da Igreja de Cristo.” (Ariovaldo Ramos)

Quantos somos, onde estamos, o que fazemos
As iniciativas de intervenção social de evangélicos representam hoje uma contribuição considerável para a sociedade brasileira. Por causa da fragmentação entre os evangélicos estas ações são pouco conhecidas.

O Mapa de Ação Social Evangélica (MASE) é uma iniciativa de RENAS que tem o objetivo de fazer um levantamento de todas as ações realizadas por evangélicos na área social. Inclua sua organização ou projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *