O ano da vida de Adriely

Comente!

“Deus é Pai dos órfãos e Juiz das viúvas e faz com que o solitário viva em família.”
Salmos 68.05,06

Débora Fahur

Quando chegamos na Cidade da Criança* e vemos tantas crianças brincando e correndo, nos sentimos felizes por poder proporcionar à elas carinho, cuidado e proteção. Ao vê-las brincando e sorrindo não podemos imaginar a história de suas vidas e a razão que as levaram a vir morar na Cidade da Criança.

Temos atualmente sete casas-lares em funcionamento e estamos construindo a oitava casa. Todas elas sempre cheias de crianças e adolescentes que chegam até nós por ordem judicial ou encaminhamento do conselho tutelar, porque se encontravam em situação de risco. Algumas ficam um tempo grande morando na Cidade da Criança, aguardando um encaminhamento para suas próprias famílias ou adoção. Outras permanecem um tempo menor como é o caso da Adriely que morou na casa dos bebês por um ano.

Adriely chegou quando tinha 10 meses de idade, pesando 6,3 kg. Chegou desnutrida e desidratada e tinha muita dificuldade para se alimentar. Ela chorava muito nos horários de refeição, apresentando mal-estar e falta de ar, se recusando a comer, e isso agravava ainda mais a sua saúde. Uma semana após ser abrigada, passou por uma consulta médica e imediatamente foi internada, pois o seu caso era muito delicado. Foi então dado o diagnóstico, Adriely, sofria de cardiopatia e precisaria ser submetida a uma cirurgia cardíaca. Segundo os médicos, o quadro clínico da criança era grave, ela corria risco de vida, pois a cirurgia deveria ter sido realizada pelo menos aos seis meses de idade. A cirurgia foi marcada, e graças a Deus tudo correu bem. Após a cirurgia Adriely começou apresentar uma melhora na alimentação, logo ganhou peso e passou a alimentar-se bem melhor, se tornando uma criança bem ativa, esperta e inteligente.

Esta é uma história que nos enche de alegria, pois esta criança recebeu no Vale da Benção todo o carinho e cuidados médicos que necessitava. Deus levantou pessoas especiais para cuidar desta criança. Após um ano de luta pela vida, Adriely estava pesando 10,95 kg e foi adotada por uma tia. Louvamos a Deus, pois Sua Palavra foi cumprida: “Deus é Pai dos órfãos… e faz com que o solitário viva em família". Pedimos que você ore por nossas crianças, muitas delas, estão esperando viver em família. Todo este trabalho precisa de investimento humano e pedimos a Deus que levante pessoas para nos apoiar a cuidar destes pequeninos.

Deus o abençoe!


Débora Fahur, Diretora de Programas Sociais da Associação Educacional Beneficente Vale da Benção (AEBVB). São Paulo – Brasil. www.valedabencao.org.brvaledabencao@valedabencao.org.br

* Cidade da Criança é um espaço da AEBVB que reúne casas-lares com voluntários que cuidam de crianças sem família ou afastadas da família por decisão judicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *