Professora do Estado vai lecionar em Timor Leste

Comente!

A professora da rede estadual Márcia Vandineide Cavalcante*, 29 anos, natural de São Bento do Una, é a única pernambucana selecionada pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) para lecionar a disciplina de língua portuguesa no Timor Leste, no sudoeste da Ásia. Ela e outros 12 mestres foram selecionados entre mais de três mil candidatos de todo país para o Programa de Formação de Professores em Exercício ao Timor. A partida deve ocorrer até o dia 15 deste mês. Ela segue para Brasília, de onde partirá todo o grupo.

Eles serão responsáveis pela capacitação de professores e tutores timorenses, além de fazer a adaptação do material pedagógico utilizado atualmente. Um grande desafio já que apenas 7% dos 955 mil habitantes falam a língua portuguesa. As duas línguas consideradas oficiais são o Português e o Tétum. Márcia não só conquistou uma das duas vagas disponíveis em sua área, ela também garantiu a primeira colocação. “Foi uma seleção difícil. Após a análise curricular, apenas 38 dos três mil foram chamados para a entrevista”, comentou a professora.

Ela acrescenta que já acompanhava a história do país que foi praticamente arrasado pela Indonésia e ainda não conseguiu se reerguer por conta das guerras civis. “A destruição sofrida e o poder de reconstrução do povo tornam Timor muito atrativo. Além disso, o que me estimulou foi a possibilidade de ajudar na reconstruir o país”, explica. A mestra vai atuar em Dili, capital timorense, durante um ano. Período em que receberá uma bolsa mensal do MEC no valor de mil e cem dólares.
Filha de agricultores que não concluíram o ensino fundamental, Márcia é exemplo de compromisso com a educação. “Eu comecei a ensinar com 11 anos em São Bento do Una, onde morei durante toda a infância”, comenta

Histórico – O país era colônia portuguesa de 1914 até 1975. Em seguida foi invadida pela Indonésia. Em agosto de 1989, cerca de 80% do povo timorense optou pela independência em referendo organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU). A intituição presta apoio humanitário ao país até hoje. O Brasil é um dos países solidários e desde o início do processo de reconstrução envia missões militares.

*Márcia Vandineide Cavalcante é cristã evangélica e estudou no CEM (Centro Evangélico de Missões)
** Retirado do Jornal da Educação/PE (www.educacao.pe.gov.br/)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *